Densitometria Óssea

Coordenação: 
Dr. Rogério Dias Duarte

Este método avalia a densidade mineral óssea (massa óssea), com o objetivo de diagnosticar precocemente a Osteoporose, que é uma doença prevenível e tratável. O seu valor mais importante consiste em determinar o risco de futuras fraturas principalmente na coluna lombar e fêmur, em pacientes com baixa massa óssea, e determinar o tipo de intervenção a ser feita. Além disso, através da Densitometria Óssea, pode-se fazer rastreamento em com massa óssea baixa, influenciando sobre o uso de terapia de mulheres com deficiência estrogênica e

reposição hormonal.

A SERDIL atualmente possui um dos mais modernos densitômetros, modelo PRODIGY PRIMO® ,marca G.E., tipo "fan-beam", com dose de radiação muito baixa, realizando exames rápidos de alta resolução, com excelente precisão e reprodutibilidade.  Permite a realização de exames da coluna lombar, fêmur, dual-fêmur, morfometria digital, antebraço,corpo inteiro e exames pediátricos. 

A SERDIL conta com selo de qualidade da SBDENS (Sociedade Brasileira de Densitometria Clínica) garantindo assim a qualidade e confiabilidade de seus exames. 


PROCEDIMENTOS PRÉ-EXAMES


Densitometria Óssea 
Realizamos exame de densitometria óssea das seguintes regiões: 

  • Coluna lombar
  • Fêmur
  • Antebraço
  • Corpo Total

Saiba mais:

A Densitometria Óssea (DXA) é um método não-invasivo de medida da massa óssea, permitindo diagnosticar precocemente a osteoporose, que é uma doença prevenível e tratável. Apresenta alta precisão e reprodutibilidade, utilizando baixa dose de radiação.
Os sítios corporais mais utilizados são COLUNA LOMBAR, FEMUR, ANTEBRACO E CORPO INTEIRO.

A) INDICAÇÕES 


A DO é mais utilizada para diagnosticar a Osteoporose, condição que afeta mulheres na pós-menopausa e também homens. Serve para determinar o risco de fratura do indivíduo, também influenciado pela idade, peso corporal, historia prévia de fratura, história familiar de osteoporose e estilo de vida, como uso excessivo de álcool e cigarro. As indicações atuais são:

* Mulheres com idade igual ou superior a 65 anos e Homens com idade igual ou superior a 70 anos. 
* Mulheres na pós-menopausa, ainda que abaixo de 65 anos, e homens entre 50 e 70 anos de idade, com fatores de risco. 
* Homens com idade inferior a 70 anos e com fatores de risco para fraturas. 
* Adultos com história de fratura por fragilidade, doença ou condição ou medicamentos associados à baixa massa óssea ou perda óssea. 
* Pessoas para as quais são consideradas intervenções farmacológicas para osteoporose. 
* Indivíduos em tratamento para osteoporose, para monitorar a eficácia do tratamento. 
* Pessoas que não estejam realizando tratamento, nas quais a identificação de perda de massa óssea possa determinar a indicação do tratamento. 
* Mulheres com idade entre 40 e 50 anos no período de transição menopausal com fatores de risco para fraturas .


B) REGIÕES ANATÔMICAS

COLUNA LOMBAR
O exame é realizado analizando as vértebras L1-L4, sendo a área que sofre perda óssea mais precoce.

CORPO INTEIRO
Avalia a densidade óssea de todo o corpo e fornece ainda o percentual de massa magra e gorda do corpo humano (composição corporal). sp;

MORFOMETRIA DIGITAL
Semelhante a uma radiografia lateral da coluna, porém com dose de radiação muito menor. Utilizada para rastreamento de fraturas vertebrais. 

ANTEBRACO
Constitui-se um sítio alternativo para avaliação da densidade mineral óssea, principalmente quando a coluna ou fêmur estão impossibilitados.


C) CRITÉRIOS DIAGNÓSTICOS

Estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS) baseiam-se no desvio padrão em relação a mulheres adultas jovens (ou homens), chamado T Score.
T Score maior ou igual -1,0 = NORMAL
T Score entre -1,1 a -2,4= OSTEOPENIA (BAIXA MASSA OSSEA)
T Score igual ou menor que -2,5= OSTEOPOROSE
Z Score: desvio-padrão em relação à faixa etária; diagnóstico de causas secundárias de osteoporose; utilizado em crianças, mulheres pré-menopáusicas e homens com menos de 50 anos. 
Z Score: maior que 2,0 = normal; igual ou menor que 2,0= abaixo do esperado para a faixa etária.

D) PREPARO PARA O EXAME

Algumas condições clínicas e/ou artefatos podem prejudicar ou inviabilizar o exame: * Não usar roupas de baixo que contenham metal.
* Realização prévia de exames radiológicos contrastados ou exames de medicina nuclear até 5 dias antes.
* Próteses metálicas na coluna lombar ou no fêmur proximal.
* Prótese de silicone nas nádegas.
* Ingesta de comprimidos de cálcio até 24 horas antes.

E) COMO É FEITO O EXAME

A paciente deita em uma cama e é posicionada pela Técnica que adquire as imagens. O exame da coluna e do fêmur dura cerca de 10 minutos, não exigindo nenhum preparo especial.

F) OSTEOPOROSE

A Densitometria óssea (método DXA) é um método não-invasivo de diagnosticar a osteoporose, uma doença silenciosa que afeta milhões de mulheres e homens no mundo inteiro, caracterizada por deterioração da microarquitetura óssea, levando à fragilidade óssea e fraturas. A D.O. permite diagnosticar a osteoporose antes que ocorra uma fratura, possibilitando o médico preveni-la.
Prevenção
Existem muitos fatores de risco para desenvolver a osteoporose:

Idade: quanto maior a idade, maior o risco.
Hereditariedade.
Hábitos de vida: sedentarismo, baixa ingesta de cálcio, tabagismo, abuso de álcool e café.
Doenças crônicas; tratamentos com corticosteroides
Com conhecimento destes fatores de risco é possível prevenir a osteoporose. É muito importante a ingesta de quantidade adequada de cálcio através do leite e seus derivados, vitamina D (através da exposição solar), praticar exercícios físicos regularmente e evitar uso excesivo de álcool, café e tabaco.